Programa Senac de Segurança Alimentar alia boas práticas e desempenho Profissional


Publicado em : 12/04/2021 | por NCM - Fecomércio/Sesc/Senac | -



Os serviços alimentícios têm crescido e se expandido. Diante do momento de restrição de funcionamento pela pandemia o serviço de bares e restaurantes precisaram se adaptar para atender aos clientes através de delivery ou retirada no balcão, assim como o surgimento de empresas familiares. Para treinar as equipes de produção, o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) realiza treinamento de implementação em boas práticas nos serviços de nutrição e alimentação, cursos sobre os cuidados biológicos e sanitários na manipulação de alimentos.

O Programa Senac de Segurança Alimentar (PSSA), criado em 2012, tem o objetivo de desenvolver ações de educação profissional (consultorias, cursos, seminários, palestras, publicações) dirigidas desde o pequeno empreendedor á empresas de grande porte, ligadas à produção e preparo de alimentos, preservando seus valores nutricionais e sanitários.

Programa expandido

O PSSA surgiu originalmente como o Programa Alimentos Seguros (PAS) e a partir
sua criação passou a incorporar a definição do PAS. “O Programa Alimentos Seguros tem como objetivo o ensinamento de técnicas sobre Segurança de Alimentos e a
implantação das Boas Práticas e do Sistema APPCC (Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle) nos estabelecimentos que produzem alimentos”, detalha Larissa Monteiro Costa Pereira, nutricionista e líder de processo do PAS.

Ela lembra que o PSSA pode agir em quaisquer lugares com atuação no setor alimentício, como cozinhas comerciais, hotéis, escolas, hospitais, padarias, lanchonetes, restaurantes, bares e similares, supermercados, mercearias, açougues, peixarias, hortifrútis e distribuidores em geral, além de ambulantes. “O Senac presta consultoria e oferece qualificação para os profissionais destes setores a fim de garantir a segurança alimentar e a qualidade dos alimentos”, diz.

 


O Senac presta consultoria e oferece qualificação para os profissionais, diz Larissa

Entre as consultorias do PSSA há implantação de boas práticas; implantação da ABNT para área de alimentos; diagnóstico/auditoria de conformidade; implantação do PAS; elaboração de cardápios; elaboração de fichas técnicas de preparo dos produtos e rotulagem nutricional. Além destes há trabalhos em outras áreas anexas à de alimentos, como auxílio na construção do layout e planta baixa; listagem de equipamentos, móveis e utensílios necessários para produção de alimentos; análise do custo x benefício na aquisição de equipamentos de alta tecnologia para área de alimentos e diversos outros produtos customizados de acordo com a necessidade do cliente.

A diretora regional do Senac, Priscila Felizola, explica que para a empresa aderir ao PSSA, deve entrar em contato com o Senac Sergipe por meio do programa e solicitar um agendamento. A partir daí será realizado um checklist de necessidades e posteriormente serão desenvolvidas as estratégias.

 


Para a empresa aderir ao PSSA, deve entrar em contato com o Senac por meio do programa e solicitar um agendamento, diz Priscila

Vantagens

O quesito segurança no PSSA é uma das maiores vantagens, uma vez que mesmo antes da pandemia da COVID-19 já era tomada uma série de cuidados. “Os cuidados com os alimentos são independentes da pandemia. Ela só veio intensificar esses procedimentos como higienização de mãos, correta manipulação dos alimentos, sanitização e limpeza dos ambientes, assim como sanitização de frutas, verduras, legumes e higienização acurada das embalagens que adentram o estabelecimento”, diz a nutricionista, lembrando que tais cuidados englobam todo o processo. “É importante inserir dentro do programa os protocolos higiênicos e sanitários, assim como o desenvolvimento de uma higienização correta na manipulação, desde a compra até a entrega desses alimentos”.

Usar os serviços do PSSA traz, além de mais segurança, mais produtividade para a sua empresa. “Além de atender à legislação, com trabalhadores capacitados com técnicas de higiene na manipulação de alimentos, traz produtividade e competitividade para as empresas. Sua empresa passa a atender à legislação, maior segurança microbiológica e qualidade nos alimentos, reduz perdas e planeja custos, aumenta credibilidade e competitividade”, completa Larissa.


Autor : NCM - Fecomércio/Sesc/Senac |
Categorias : Destaques