Publicado em : 14/03/2017 - Por : Helmo Goes

Fecomércio participa de seminário sobre políticas culturais


Discutir a criação de redes de formação e qualificação que fortaleçam o cenário cultural no Estado de Sergipe. Este foi o objetivo da participação de representantes do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac na tarde da última segunda-feira, 13 de março, no II Seminário Sergipano de Políticas Públicas para a Cultura, promovido pelo Governo do Estado através da Secretaria de Estado da Cultura (Secult).

Maurício Oliveira fala sobre atuação do Sesc e Senac

Participaram da mesa-redonda o superintendente da Fecomércio, Maurício Oliveira, o diretor Regional do Senac, Paulo do Eirado, a diretora Regional do Sesc, Adely Carneiro, além do professor Perícles Andrade, da Universidade Federal de Sergipe (UFS), a professora Roseneide Santana, do Instituto Federal de Sergipe (IFS), e Maria Júlia Barreto, representando o Sebrae.

O superintendente Maurício Oliveira enalteceu a iniciativa da Secult na realização do Seminário e colocou o Sistema Fecomércio à disposição das ações voltadas para o fortalecimento da Cultura no Estado de Sergipe. “A Fecomércio tem uma atuação indireta na sociedade através do Sesc e do Senac, e ambas instituições trazem uma série de ações fundamentais para o desenvolvimento da cultura sergipana. Dessa maneira, nos colocamos à disposição de outras instituições para que efetivamente façamos acontecer melhorias no âmbito da vida artística sergipana, de uma maneira geral”, declarou Maurício.

Oficinas gratuitas

Paulo do Eirado propôs a criação de oficina para artistas

O diretor Regional do Senac, Paulo do Eirado, agradeceu ao Governo do Estado pelo convite e apresentou a ideia da criação de uma oficina gratuita para artistas que querem inscrever projetos em editais de Cultura.  “O Senac vem com sua expertise, sua missão, para contribuir com a melhoria da Cultura e do artista sergipano, de um modo geral, para que ele consiga uma projeção local e nacional a partir da sua aldeia. Nós temos a ideia de promover oficinas gratuitas que possam ajudar o artista a participar de editais, fazer com que ele entenda que a sua formação não fica presa somente ao seu talento, aos dons artísticos que ele possui, mas também a conviver com a burocracia, conhecer um pouco do inferno astral da vida de todos os cidadãos, sobretudo daqueles que são empreendedores. Podemos ajudar esse artista a superar os desafios que surgem todos os dias, a saber lidar com esses obstáculos”, disse Paulo do Eirado.

 

Transformação

Adely falou sobre as ações do Sesc no campo da Cultura

Na sequência, a diretora Adely Carneiro apresentou a Cultura como uma das áreas de atuação do Sesc e as ações desenvolvidas pela instituição neste segmento. “Toda ação do Sesc é educativa, propositiva e transformadora, e não tem como falar em um processo de educação sem incluir a cultura. É através da música, das artes, da dança, que nós podemos transformar e buscar uma sociedade mais justa e igualitária. E quando nós temos uma missão como essa, de contribuir para uma sociedade mais justa, não tem como não priorizar as ações voltadas para o desenvolvimento artístico e cultural de um povo, não tem como falar em transformação sem puxar os artistas pro nosso lado”, declarou Adely antes de apresentar alguns projetos desenvolvidos pelo Sesc nessa área, como a Aldeia Sesc de Artes, o Sescanção e o Palco Giratório.